Cultura pode perder seu espaço em periferia para violência na TV. E como fica a criançada?

A notícia do dia foi o caso das crianças extremamente violentas que invadiram um hotel, roubaram o celular de uma camareira, agrediram policiais quando eram apreendidas, mentiram idade para não ir para Fundação Casa, e justificaram que queriam aparecer na televisão pra superar a ação da gangue das meninas, “famosas” por ações criminosas na zona sul. Algo irreal, chocante, que deixa no ar algumas questões e afirmações carregadas de preconceito como: onde estão os pais delas? Ninguém está mais seguro com essas crianças soltas! Isso é que dá viver na rua!

Reprodução de foto sobre reportagem da 'gangue das meninas'

O interessante é que hoje mesmo escrevi um post para o blog Mural, no qual sou correspondente do meu bairro na periferia da zona norte de São Paulo, sobre a mobilização de moradores em relação a desativação do “Centro para Criança e Adolescente: Arte na Rua”, um espaço voltado para atividades recreativas de crianças e adolescentes no Jardim Damasceno. Ao entrevistar uma mãe, fui remetido para uma fase da minha infância, quando ficava só em casa enquanto meus pais precisavam trabalhar. “uórever!”

A senhora disse preocupada: “tenho que trabalhar, aquele espaço é o único lugar no bairro onde meus filhos podem brincar.” Ela não é a única, liguei para outra casa e o menino que estava sozinho, pois a mãe só chegaria depois das 18h do trampo, me contou que está muito preocupado com a história da retirada do espaço cultural. O local é pequeno, atende apenas 80 crianças e adolescentes, e tem muita mãe na fila esperando por vaga. Mas aquele projeto ali, naquele local, não está nos planos do novo parque linear da prefeitura.

Projeto serve de espaço para diversas atividades no bairro

Será que é melhor mesmo soltar essa criança desocupada, por falta de atividades como as desenvolvidas ali, nas ruas? Ou na frente da televisão vendo no noticiário a fama de pessoas da mesma idade dando nó na cabeça de autoridades e conseguindo chamar atenção que tanto carecem dos seus pais, mais preocupados em ir atrás de conseguir algo pra botar no prato delas?

Criançada fora da rua e da televisão

Creber

Leia o post do Mural: Mais um espaço cultural ameaçado: agora no Jardim Damasceno

Anúncios

Sobre waissfoüderes

A equipe "waissfouderes" é formada por Creber, Drica, Falácia, Felícia e Psicotropical. Por enquanto... Siga o nosso twitter: @waissfouder
Esse post foi publicado em éfroyder e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Cultura pode perder seu espaço em periferia para violência na TV. E como fica a criançada?

  1. MUITO BOM esse post sobre as crianças.
    Infelizmente essa é uma realidade com a qual nos ainda devemos aprender a lidar,
    Obrigada pelo comentário no meu blog.
    Larissa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s