Dia dos namorados

Alguns podem dizer que é recalque meu, porque não tenho namorado. Mas já passei alguns Dias dos Namorados com namorado e, portanto, posso falar. Além disso, sou uma exímia observadora e crítica de tal data. Fiquei pensando que, assim como tantas outras datas festivas, quem sorri mesmo no dia dos namorados é o comércio, que enche o bolso. E os “enamorados” ou nem tanto assim, apenas para cumprir tabela, picar cartão, insistem em trocar presentes caros e fazer o básico passeio-restaurante-cinema-motel, e passam raiva. Eu particularmente tenho ódio de fila. E, portanto, me afasto desses locais no dia dos namorados. O pior é que, esse ano, caiu justamente no domingo, meu dia preferido para ir ao cinema. O resultado vai ser adiar o cinema…e ir para um samba, que também muito me agrada. E também o cupom do restaurante que comprei no Clube Urbano e “não pode ser utilizado no dia dos namorados”. Ai, que saco!

Mas voltando a falar necessidade tola de dizer eu te amo no dia 12 e tentar provar com palavras e presentes que sente mesmo todo o amor que houver nessa vida… Acho tão vazio. Nos restaurantes, não importa a qualidade, pode ser o Damião, do lado de casa, pode ser o Leopoldo ou o Máximo, é tudo pastelaria de feira. É produção em série. Além do mais, o atendimento fica péssimo. As casas vendem com antecedência os “pacotes” oferecendo champanhe, entrada, prato principal e sobremesa – o cafezinho não está incluso – que são comprados semanas antes e preparados com antecedência para o maior lucro do restaurante e a “felicidade gourmet” dos pombinhos apaixonados. Mas ai de você se quiser outra garrafa de vinho para continuar o papo que ficou animado. Eles até servem. Mas fazendo cara feia e papagaiando na mesa até que você fique puto com a intromissão e vá embora por fim. Bingo!

E acho também nojento. Veja, por exemplo, os motéis. Como já disse detesto fila. No dia 12, todos os motéis, desde os classe A até aqueles tipo “Cêqsabe” de beira de estrada ficam abarrotados. Você passa tanto nervoso na fila que até perde o tesão quando chega a hora “h”. Esperar para dar uma é o fim da picada… Mas, tudo bem, ok, você esperou, aí entrou no motel, todo animadão, entra no quarto e quando deita na cama ela ainda está quente. Do casal que transou express alguns minutos antes e, sem mesmo esperar o “silêncio de depois”, vão embora. Isso se for um motel bonzinho. Porque nos de beira de estrada corre o risco de o lençol nem mesmo ter sido trocado dada a demanda intensa do dia. Porque não dá pra pagar e ficar mais. Porque não há espaço. Porque há uma fila imensa la fora de casais ávidos por comemorar a “data do amor”.

Como é possível alguém achar a data romântica?

Não vejo grandes diferenças entre o restaurante e o motel. É apenas um movimento que distingue um do outro. No primeiro caso, é o famoso ato em quatro movimentos: entra, senta, come e vai embora.  Nesse segundo, é o ato em três movimentos: entra, come e vai embora. Se bem que, pensando bem, no motel você pode sentar também né…aí não fica diferença alguma.

O dia dos namorados, quando se está amando, é todo o dia. Troco tudo isso que eu citei acima, sem hesitar, por um cafuné, um abraço apertado seguido de um beijo apaixonado, pela confusão de pernas, sabores, odores e pelo tal “silêncio de depois”. O lugar não importa. Não tem coisa melhor do que você chegar em casa, cansada depois de trabalhar em dois lugares e ouvir dele: “como você esta linda hoje”. Mesmo estando fedendo “cecê” e com o cabelo todo zoado. Mesmo com as unhas roídas de tensão. E ele querer saber como foi o seu dia. E te colocar no colo e ficar ali, como se não houvesse preocupação com o tempo, nem nada. Isso é altamente afrodisíaco. Isso para mim é o “dia do amor”. Isso para mim poderia acontecer todo dia. E não custa nada né? A menos que você compre para ela um girassol. Mas isso não vai custar caro…no máximo R$ 7. Ou seja, nada. (Maria Teresa Cruz)

PS: Clebão e Adriana cederam o espaço para que eu colocasse minhas idiossincrasias com relação ao dia dos namorados!

Anúncios

Sobre waissfoüderes

A equipe "waissfouderes" é formada por Creber, Drica, Falácia, Felícia e Psicotropical. Por enquanto... Siga o nosso twitter: @waissfouder
Esse post foi publicado em éfroyder, pérolas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Dia dos namorados

  1. Alexandre disse:

    então o dia dos namorados é apenas, uma data comercial feita pra ganhar mtmtmtmt DINHEIRO, O/ assim como natal, pascoa, dia das mães/pais logo, o público alvo são os adolescentes dessa geração de merda, q são extrema-mentes vazios, e não sabem demostrar amor por outra pessoa logo, pensam “oq eu vou fazer,” simples amigo e amiga compra la um presentinho 😀 enrica + uma empresa milhonária q ta cagando pros seus sentimentos simples ! duvida ?

  2. Drica disse:

    Poxa,
    Perfeita a sua visão sobre o dia dos namorados! Compartilhamos a mesma filosofia.
    Também não creio em um dia específico para nada. Afinal como você disse “dia”são todos.
    Não há nada mais interessante do que comemorar quando aparentemente não se tem motivo para isso.
    Digo aparentemente porque há coisa mais importante para celebrar do que o amor, o carinho e a cumplicidade nossa de cada dia?

    Bjos

  3. Creber disse:

    Não sei por que raios imaginei como seria a comemoração do Dia dos Namorados de um casal formado por um garçom e uma arrumadeira de motel, depois de toda essa correria…

  4. Eleide disse:

    Falou tudooo…..por isso que comemorei bem antes e por alguns dias depois….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s