Reflexões de um bebum sobre o Mundo

Não sei, mas…  tenho pensado seriamente se não teria sido válido o evento “fim do mundo” ter sido bem sucedido no último dia 21 de maio. A esperança é que remarcaram para o próximo dia 21 de outubro. Quem sabe…

Por que essa reflexão? Bom, tudo começou depois de um daqueles dias marcantes. Festa de aniversário de uma amiga que começou com uma feijoada espetacular e seguiu regado de muita diversão com brincadeiras (até Imagem e Ação jogamos), bolo, karaokê, pipoca, churrasco, baladinha na varanda, cervejas e aperitivos variados. Já no final da festa, e eu mais pra lá do que pra cá, começo a filosofar com um camarada sobre a nossa sociedade, questões políticas etc. Papo intelectual de boteco. Botamos umas músicas caipiras, acendemos cigarros de palha e lá fomos nós pensar.

Waissfoüder! Foi pesado chegar a certas conclusões de que:

Reprodução internet

– a ganância é a causadora do câncer maligno que deteriora o mundo, aos pouquinhos;

educar a nação é uma possível cura, mas um tratamento perigoso, fora dos planos dos que se beneficiam com os preços e impostos dos remédios;

– os doutores precisam de um auxílio-paletó pago pelo seu povo sem gravata;

– a balança da Justiça está desregulada;

– lutas pelo coletivo acabam mal e se perdem na memória curta de quem precisa se ocupar com uma tragédia mais atual;

– a luta contra o desmatamento está bem controlada, sem movimentos ou novidades para os que controlam e conhecem bem as suas marionetes (‘nóis’);

– apesar do poder das redes sociais, o individualismo é uma tendência e o que realmente importa é saber o seu preço para alcançar bons lugares na prateleira do mercado;

– imposto é im-pos-to mesmo, e que trabalhamos até hoje para honrar esse compromisso, agora temos o resto do ano para lucrar algum;

– a ignorância e o desconhecimento muitas vezes significam paz e contentamento;

– fazer o bem e promover mudanças ao seu redor são possíveis;

– amigos de verdade são fodas, te censuram, te aguentam, te divertem e por isso fazem a vida valer a pena;

– o câncer é uma doença monstruosa, levou um tio há poucos dias e está degenerando uma tia do interior do Ceará, pessoas sem os recursos suficientes para estabelecer uma luta mais justa, e é por isso que reflito sobre o apocalipse como cura;

– eu não consegui nem aprender a fumar um cigarro de palha e, apesar de tudo, ainda gosto de ver a esperança juvenil na reversão do quadro clínico mundial.

Creber

Anúncios

Sobre waissfoüderes

A equipe "waissfouderes" é formada por Creber, Drica, Falácia, Felícia e Psicotropical. Por enquanto... Siga o nosso twitter: @waissfouder
Esse post foi publicado em viagem e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Reflexões de um bebum sobre o Mundo

  1. Vitão disse:

    É por isso que na minha peça “A BOMBA E O BEIJO” a solução encontrada pelo personagem principal é construir uma BOMBA e explodir tudo. INOCENTES pagam pelos pecadores e tudo se explode, em busca de uma redenção e um recomeço quem sabe…a questão que fica em nossa cabeça e que faz a gente filosofar sempre é…”Será que existem inocentes mesmo?”

    O que vale a pena mesmo é encontrar os verdadeiros amigos em eventos como este, e forjar a nossa liga da justiça, onde nós temos as soluções e os poderes para mudar tudo….mesmo que isso ocorra apenas em nossos ideias!
    Bendito são os amigos e o conhecimento adquirido ao longo da vida…que nos faz ser capaz de brincar de “salvadores do mundo” mesmo que sejam por instantes como o que vivemos nesta fatídica noite de sábado!

    =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s