Agora que venham as pesquisas para o Waissfoüder!

Elas têm poder terapêutico. Dica da Drica: Usem com moderação!!!

 Li esses dias os resultados sobre a curiosa pesquisa a respeito do efeito milagroso dos palavrões. Na verdade, ela só comprova o que sabemos há séculos: eles têm poder terapêutico! Falamos sempre quando algo nos incomoda e a boa notícia é que agora temos o aval da ciência.

Pense só: você levanta às seis da manhã de uma segunda. O domingo foi tão ótimo que merecia um prolongamento, mas o trabalho te chama. Você coloca seus pés e caminha meio sonolento em direção ao banheiro sem perceber que a sua cômoda está mais para frente do que de costume. Nossa, foi por pouco. Quase deu! Dos seus cinco dedos do pé direito, quatro conseguiram desviar, mas o dedinho, ah sempre o safado, não. %¨&%$##$%%! Não é? Ou uma variação disso. Certamente foi isso que se passou aí na sua cabeça.

Ah… É claro que a dor persistirá por alguns intermináveis minutos, mas o fato de gritar essa palavra longa aí, o tal palavrão, certamente te deixará mais leve.

Agora tente reproduzir a dolorosa cena mentalmente testando o efeito de outras palavras ou expressões um pouco mais doces: Que maravilhaaaaaaaaaa! Que coisa boaaaaaa! Perfeitoooooo! Nenhuma fará o mesmo efeito. Aliás, coitadas, nem chegarão perto. A concorrência é super desleal.

É fato! Palavrões são adjuvantes poderosos no controle da dor aguda. Mas vejam que coisa interessante! A pesquisa dos moços da Keele University, na Inglaterra, também mostrou que o uso indiscriminado dos palavrões pode fazer com que ele perca a sua eficácia e a sua potência na hora em que você mais precisar usar aquelas expressões cabeludas que só você sabe. Dica da Drica: Usem com moderação!!!

Essa leitura esclarecedora fez com que eu ficasse imaginando um novo tema para futuras pesquisas: o waissfoüder e seus derivados como o Phoüda podem substituir com eficácia o uso dos palavrões mais comuns e tradicionais? Será que eles são mais sensacionais e podem ser usados no sistema self-service, do tipo use quanto quiser?

Pelas minhas experiências pessoais, digo sem dúvidas: sim! Mas vamos lá cientistas! Vai ser chique demais termos uma pesquisa só para o waissfoüder!

Drica

Anúncios

Sobre waissfoüderes

A equipe "waissfouderes" é formada por Creber, Drica, Falácia, Felícia e Psicotropical. Por enquanto... Siga o nosso twitter: @waissfouder
Esse post foi publicado em éfroyder e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Agora que venham as pesquisas para o Waissfoüder!

  1. Vitão disse:

    Ahhh os palavrõeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeens! Válvulas de escape que todo ser humano habilita em momentos, inclusive, muito bem descritos texto a cima.

    Os palavrões estão INTERLIGADOS com a capacidade de AGRESSIVIDADE do ser humano! Um palavrão é uma reação AGRESSIVA, impensada, inócua! Quando passarem por situações como bater o dedinho, pisar no cocô de rua, ou algo do tipo, experimentem fazer um movimento de AGRESSIVIDADE INTERNO…como por exemplo prender a respiração e “engolir aquilo” (o movimento é pra dentro agora e não expansivo) …podem ter certeza, é tão bom como soltar um WAISSFOÜDEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEER!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s